Ultimamente tenho observado, que cada dia em minha vida, tem se mostrado de forma realmente surpree

terça-feira, 10 de agosto de 2010

ATÉ QUANDO


Até Quando

Meu corpo entre o céu e a terra
Mergulhado no mar da desilusão
História de uma estranha guerra
Entre o amor e uma grande paixão

Talvez eu morra antes do horizonte
Minha visão não mais te encontrará
E se a memória voar da minha fronte
Teu coração dentro do meu ficará

Partirei em pedaços, mesmo inteira
Sem palavras, sem poema, sem adeus
A saudade será minha companheira
Recordando o sabor dos beijos teus

Fui tua? Foste meu? Amamos tanto!
De repente, tudo mudou se fez lento
Meus sonhos ficaram em algum canto
E teus carinhos como folhas ao vento.

M@ José


Nenhum comentário: