Ultimamente tenho observado, que cada dia em minha vida, tem se mostrado de forma realmente surpree

sábado, 4 de junho de 2011

NÃO TE ESPANTES

Não te espantes quando de repente
Eu não te procurar mais como sempre
Não estranhes quando de súbito
Eu não mais mendigar o teu tempo,
Procurar-te como uma louca.
Não te exaltes quando por um instante
Eu não mais aceitar tuas explicações descabidas
Não te assustes quando por um momento
Eu quebrar o silêncio
Do que tenho sufocado dentro de mim
Não estranhes quando eu não mais te olhar
Com aqueles olhos melosos de outrora
Esperando você chegar.
Quando tudo isso acontecer,
Não me cobres nada
Apenas aceite
Como eu aceitei
Tudo de você


M@ José

Um comentário:

George Ardilles disse...

Olá, eu vi o seu comentário no meu recanto das letras. Lembro da senhora no sarau sim.
Abraços!
George Ardilles